sábado, 31 de dezembro de 2011

Em MS, grupo aposta R$ 10 mil em bilhete único na Mega-Sena da Virada


Um grupo de 100 pessoas em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, registrou na última quarta-feira (28) uma aposta única no valor de R$ 10.010 na Mega-Sena da Virada. O bilhete de 15 números tem chance de acerto de 1 para 10 mil, segundo a Caixa Econômica Federal. Com uma aposta simples, de seis números, as chances de ganhar seriam de 50 milhões para um.


O idealizador do bolão, o fotógrafo Ademir de Almeida, de 33 anos, conta que teve a ideia no ano passado, quando organizava uma aposta coletiva entre os funcionários da empresa onde trabalhava. “Eu sempre organizava o bolão na empresa, mas sempre fazíamos várias apostas de seis números, então pensei que fazer a maior aposta possível, com 15 números, apesar de muito mais cara, matematicamente aumenta nossas chances de ganhar”, explica.
Almeida começou a divulgar a ideia no dia 5 de dezembro, e em pouco mais de duas semanas, fechou o grupo. Cada pessoa investiu R$ 100 na aposta. O bilhete original foi guardado em um local secreto e muito bem guardado, diz o fotógrafo. "Apenas dez pessoas sabem onde está", afirma.
Segundo a proprietária da lotérica, Iria Rodrigues de Lima, é a primeira vez que registra uma aposta desse valor. “Eu já tinha tinha visto de dez números, que custa R$ 420, mas de 15 números, nunca”, conta.
A Caixa estima pagar R$ 170 milhões na Mega-Sena da Virada este ano. Em 2010, quatro ganhadores dividiram R$ 194,3 milhões.
Fonte: G1

Continue lendo >>

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Filme Pornô | Pegadinha com Ivo Holanda e grande elenco | Programa Silvi...

Continue lendo >>

CD de Rafinha Bastos alcança número de dowloads equivalente a um Disco de Platina



O CD Resposta, lançado pelo humorista Rafinha Bastos na internet, foi baixado por mais de 265 mil pessoas em menos de 24 horas, segundo a colunista Keila Jimenez, do jornal Folha de S. Paulo. O número equivale às vendas de um Disco de Platina. No twitter, o comediante tem mais de 3,5 milhões de seguidores.



"Decidi não dar entrevistas e nem responder perguntas sobre tudo o que me aconteceu nestes últimos meses. Vi na música a melhor maneira de me expressar. Eu sempre cantei e o Miranda sempre me botou pilha pra lançar um trabalho, mas queria o momento certo. Acho que encontrei", explicou Rafinha em entrevista ao jornal O Globo, se referindo a Carlos Eduardo Miranda, um dos produtores do CD.

As músicas são novas provocações e respostas às polêmicas que o envolveram ao longo do ano.

Continue lendo >>

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Chávez diz estranhar o fato de cinco líderes latino-americanos sofrerem de câncer



Depois de prestar solidariedade à presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, que iniciará um tratamento de combate a um câncer de tireoide, o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse estranhar o fato de cinco chefes de Estado da América Latina estarem sofrendo do mesmo mal: tumor maligno. Para Chávez, há uma estratégia liderada por norte-americanos para minar os líderes latino-americanos.
Durante seu programa de rádio, Chávez lembrou que há provas de que médicos dos Estados Unidos fizeram, nos anos de 1940, na Guatemala, experiências com cidadãos guatemaltecos sobre doenças sexualmente transmissíveis que levaram 83 pessoas à morte. O caso teve repercussão internacional e o governo dos Estados Unidos se desculpou pelo fato.
"É muito difícil explicar, com base na lei das probabilidades, por exemplo, o que tem ocorrido com alguns de nós [líderes] na América Latina", disse Chávez, que também está em tratamento médico para combater um câncer. Em meados deste ano, ele retirou um abscesso na região pélvica durante cirurgia em Cuba.
Além de Chávez e Cristina Kirchner, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva faz quimioterapia para curar um câncer na laringe. A presidenta Dilma Rousseff e o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, foram submetidos a um tratamento para a cura de linfoma.
"Fidel [Castro, ex-presidente de Cuba] sempre me disse: 'Chávez tenha cuidado, essa gente desenvolveu tecnologia, atenção ao que te dão para comer e cuidado com uma pequena agulha que te injetem e não se sabe o porquê'", disse o venezuelano.
Fonte: Agência Brasil

Continue lendo >>

Kimba, o gato prestativo

Continue lendo >>

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

'Não terei dificuldade de divergir do governo', diz Jader



Recém-empossado, o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) afirmou esta quarta-feira que, apesar de integrar a base aliada, “não terá dificuldade de divergir” do governo federal em votações na Casa. “Em princípio eu acompanho o meu partido”, disse Jader, em entrevista coletiva. “Evidentemente que isso não me impedirá, absolutamente, de eventualmente vir a divergir (do governo). Afinal de contas, devo o meu mandato exclusivamente ao povo do Pará”.
“Se eventualmente, em um determinado episódio, eu considerar que devo divergir não terei absolutamente nenhuma dificuldade de divergir”, reforçou o peemedebista, barrado no ano passado pela Lei da Ficha Limpa, que, contudo, promete em 2012 se "alinhar ao partido" e “ajudar no que for possível” o governo da presidenta Dilma Rousseff.
A declaração do peemedebista, que tem fortes laços com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AL), e com o líder do PMDB, Renan Calheiro (AL), sinaliza um recrudescimento da tensão que marcou as relações entre o partido e o PT no primeiro ano do governo Dilma.
Desde o início da nova legislatura, os petistas reclamam que o governo tem sido prejudicado pela atuação do líder governo, Romero Jucá (PMDB-RR). A divergência chegou a um ponto crítico em junho, quando a então senadora petista Gleisi Hoffmann (RS), hoje ministra-chefe da Casa Civil,atacou publicamente Jucá após sessão tumultuada que resultou na derrubada de duas medidas provisórias. 

Nos bastidores, o PT chegou a pedir a substituição de jucá, mas o movimento foi rapidamente sufocado pela cúpula do PMDB, que ameaçou deixar a base governista. Apesar de avaliar como positiva a entrada de um senador da base no lugar da oposicionista Marinor Brito (PSOL-PA), que ocupou por 11 meses a vaga de Jader, o Planalto sabe que terá de negociar com Jader espaços no governo se quiser tê-lo como um aliado.
O peemedebista, por sua vez, ficou mal visto por Dilma antes de voltar ao Senado. A presidenta não gostou do comportamento do senador paraense, que pressionou o PMDB a dificultar no Senado a sabatina da ministra Rosa Weber, indicada por Dilma para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), porque acreditava que o Planalto estava atuando contra ele.
Na ocasião, líderes do PMDB ameaçaram não votar a indicação de Rosa até que o caso de Jader fosse resolvido. O impasse só se resolveu após Dilma chamar Jucá no Planalto para tomar satisfações.
Jader, no entanto, minimizou atritos com o governo e disse que entrou no “final da fila” no Senado, “como recruta”. “Não tenho nenhuma reivindicação a fazer, não sou candidato a posto nenhum, a não ser exercer o meu mandato pelo estado do Pará”, frisou.
O parlamentar chegou ao Senado acompanhado de dois de seus quatros filhos, Giovana, de 15 anos e Daniel, de 9 anos - que durante a entrevista coletiva fez caretas para cinegrafistas e fotógrafos. Jader rebateu crtíticas sobre a antecipação da posse, que acontece em meio ao recesso dos trabalhos legislativos.
Segundo ele, a cerimônia de hoje foi marcada pelo presidente do Senado, José Sarney. "Não houve pressa. Achei até um pouco demorado. Acabei perdendo 11 meses de mandato", assinalou Jader, que até o reinício dos trabalhos, em fevereiro, receberá vencimentos de mais de R$ 50 mil, entre salário e ajudas de custos.

Continue lendo >>

As du(r)as realidades do Brasil


















Fonte: Blog da Folha

Continue lendo >>

Não entendo...



Não entendo. Isso é tão vasto que ultrapassa qualquer entender.


Entender é sempre limitado. Mas não entender pode não ter fronteiras. Sinto que sou muito mais completa quando não entendo. 

Não entender, do modo como falo, é um dom. Não entender, mas não como um simples de espírito. O bom é ser inteligente e não entender. 

É uma benção estranha, como ter loucura sem ser doida. É um desinteresse manso, é uma doçura de burrice. Só que de vez em quando vem a inquietação: quero entender um pouco.

Não demais: mas pelo menos entender que não entendo.

Clarice Lispector

Continue lendo >>

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Uma favela da cidade de Medellín, na Colômbia, ganhou uma escada rolante.



Os moradores da Comuna 13, uma das favelas dos morros da cidade, agora podem subir pela escada que é dividida em seis partes e percorre 384 metros.
O prefeito da cidade afirma que este é o primeiro projeto deste tipo voltado especificamente para uma favela.
Olga Holguin, moradora da Comuna 13, disse que "a escada é um sonho realizado" e ela foi uma das primeiras a passear na nova obra.
As autoridades esperam que a nova escada, junto com outros projetos sociais, ajude a integrar os moradores com o resto da cidade.
"O projeto vai mudar radicalmente como as pessoas encaram a Comuna 13", disse Eugenia Ramos, gerente de Desenvolvimento Urbano de Medellín.
Os cerca de 12 mil moradores da Comuna 13 não vão precisar pagar pelo serviço. Antes, eles levavam meia hora para subir o equivalente a um prédio de 30 andares.
Com a nova escada, que custou US$ 7 milhões, o percurso dura cinco minutos.

Fonte: BBC Brasil

Continue lendo >>

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

MEC divulga escala de notas mínimas e máximas registradas no Enem 2011


O Ministério da Educação divulgou na tarde desta quinta-feira (22) as notas mínimas e máximas tiradas pelos alunos nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) realizadas em outubro.


Em ciências humanas e suas tecnologias, a pontuação mínima foi de 252,6, e a máxima de 793,1. Em ciências da natureza e suas tecnologias, a nota mínima foi 265 e a máxima 867,2. Nas provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, a menor nota registrada foi 301,2 e a maior, 795,5. Em matemática e suas tecnologias, a nota mínima foi 321,6 e a máxima, 953.
Em redação, as notas variaram entre 0 e 1.000, o mínimo e o máximo possíveis.
Segundo o MEC, não há uma nota média e as 95 instituições de ensino superior que usarão o Enem no Sistema de Seleção Unificada (SiSU) usarão o resultado de forma autônoma. No entanto, para fazer as inscrições ao Programa Universidade para Todas (ProUni) é necessário ter tirado pelo menos 400 pontos, na média geral das quatro notas (somando as notas e dividindo o valor por quatro).
A consulta individual do resultado do Enem 2011 foi aberta na quarta-feira (21). Os estudantes podem ver as suas notas no site do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), informando seu CPF e senha. A nota das provas objetivas é calculada utilizando a Teoria de Resposta ao Item (TRI), que permite a comparabilidade entre provas diferentes e divide as questões entre diferentes graus de dificuldade. Por isso, o número de acertos na prova não serve de referência para a nota final, já que a pontuação de cada questão é calculada de maneira distinta.
Mais de 108 mil vagas

Os candidatos poderão usar o resultado do Enem 2011 para se inscrever no SiSU em 2012. De acordo com o ministério, o sistema será divulgado na próxima segunda-feira (26) apenas para consulta, e as inscrições terão início à zero hora do dia 7 de janeiro.

No total, segundo o MEC, 95 instituições de ensino superior de 26 estados brasileiros (com exceção do Distrito Federal), por meio do sistema, oferecerão 108.552 vagas em 3.327 cursos . O ministério afirmou que o número de vagas é 30% maior que na seleção realizada em 2011.
Na edição de 2012, o SiSU ficará no ar 24 horas por dia, entre 7 e 12 de janeiro, para receber as inscrições dos candidatos. A primeira chamada será divulgada no dia 15 de janeiro, e os candidatos aprovados terão entre 19 e 23 de janeiro para efetuar sua matrícula.
Segundo o MEC, "o candidato aprovado na primeira opção de curso será automaticamente retirado do sistema. Caso não faça a matrícula na instituição para a qual foi selecionado, perderá a vaga".
No dia 26, o SiSU divulgará a segunda chamada, com matrículas entre 30 e 31 de janeiro.
Entre 26 e de janeiro e 1º de fevereiro, quem não passou na primeira e na segunda chamada pode se inscrever na lista de espera, que será divulgada em 4 de fevereiro. A partir daí, a seleção será feita gradativamente até o dia 2 de março de 2012.
Fonte: G1

Continue lendo >>

Marley e Eu - Mensagem Final

Continue lendo >>

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

O MELHOR TROTE DO MUNDO


Fonte: Acidez Mental

Continue lendo >>

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Pais fazem tatuagens para apoiar filho com diabetes




O casal canadense Philippe Aumond e Camille Boivin decidiu mostrar apoio ao filho Jacob, de uma forma que vai durar para sempre: ambos tatuaram no abdome um injetor de insulina. Isso porque o menino tem diabetes do tipo 1.
A tatuagem de cada um mostra o aparelho para aplicar a insulina e, no abdome do pai, ainda há a frase “Para sempre juntos e ligados”.
Quando o menino foi diagnosticado, ele ficou ansioso pelo aparelho – que substituiria as quatro ou cinco injeções diárias que ele precisava tomar. Segundo a mãe, o garoto achou que teria “seu próprio robozinho” particular. Camille, de 36 anos, disse que o garoto não teve problemas em usar o injetor, mas quis saber se ele era o único que tinha um “robozinho”.
- Ele se adaptou bem rápido, mas uma vez ele disse que se sentia diferente e perguntou se só ele, no mundo, usava o injetor.
Ela e Aumond, então, resolveram tatuar os aparelhos em si mesmos, para que o filho não se sentisse sozinho.

- Procuramos um bom tatuador porque queríamos que a figura fosse bem fiel à imagem do aparelho real (...) Jacob ficou realmente animado quando viu e agora, toda vez que as pessoas falam com ele sobre o injetor, ele levanta minha camisa e diz: “Olha, minha mãe também tem um”.
O pai disse que a ideia das tatuagens veio do menino.
Camille disse que o injetor custou R$ 12.100 (6.800 dólares canadenses), além do custo de R$ 1.250 (700 dólares canadenses) para o monitoramento periódico do aparelho e mais R$ 893 (500 dólares canadenses) por mês com outras despesas relacionadas à doença do filho.
Para comprar o aparelho ela organizou uma festa, vendendo pulseiras com a frase “Juntos por Jacob”, e conseguiu levantar R$ 25.500 (14.269 dólares canadenses). Com o dinheiro, Camille comprou o aparelho e outros acessórios e doou o restante do dinheiro para outras famílias que também precisavam do injetor.
- Temos muito amor, tínhamos muito dinheiro e conseguimos comprar o aparelho, e foi ótimo (...) Tentamos encarar tudo a respeito da diabetes da forma mais positiva possível.
Fonte: R7

Continue lendo >>

Qual é a origem da árvore de Natal?



Enfeitar árvores é um ritual antiqüíssimo, presente em praticamente todas as culturas e religiões pagãs, para celebrar a fertilidade da natureza. Os primeiros registros de sua adoção pelo cristianismo vêm do norte da Europa (terra dos pinheiros, a árvore de Natal clássica), no começo do século XVI - mas tudo indica que, a essa altura, já era uma tradição medieval. No antigo calendário cristão, o dia 24 de dezembro era dedicado a Adão e Eva, cuja história costumava ser reencenada nas igrejas. "O paraíso era representado plasticamente por uma árvore carregada de frutos, colocada no meio da cena teatral", afirma o teólogo Fernando Altermeyer, da PUC-SP.
As pessoas, então, passaram a montar essas alegorias em suas casas, com árvores cada vez mais decoradas: de velas (simbolizando a luz de Cristo), estrelas (alusão à estrela de Belém) e rosas (em homenagem à Virgem Maria) até hóstias (pedindo perdão pelos pecados). Nos séculos XVII e XVIII, o hábito se tornou tão popular entre os povos germânicos que eles mesmos o creditaram a seu maior líder religioso, Martinho Lutero (1483-1546), fundador do protestantismo. A árvore de Natal só se difundiu pelo resto do planeta a partir de 1841, quando o príncipe Albert (1819-1861) - esposo alemão da rainha Vitória - montou uma delas no palácio real britânico. Na época, o império vitoriano dominava mais de meio mundo e o costume logo se tornou universal.

Continue lendo >>

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Morre aos 98 anos Joe Simon, criador do Capitão América



Joe Simon, criador do herói Capitão América e um dos roteiristas mais populares da história dos quadrinhos, morreu aos 98 anos, informou nesta quinta-feira a associação de fãs de gibis Vanguard Productions.
Simon, nascido em 11 de outubro de 1913 em Rochester (Nova York), faleceu na quarta-feira em sua casa, no mesmo estado, após ser vítima de uma doença não especificada.
"Joe viveu uma vida plena e nos alegramos que tenha tido tempo de ver como o Capitão América ganhou vida com tanto sucesso no último filme", informou a Vanguard Productions em sua página no Facebook.
Ao lado de Jack Kirby - falecido em 1994 -, Simon criou o personagem em 1940, um jovem doente que, ao receber uma injeção de um soro especial, se transforma na arma das Forças Armadas dos Estados Unidos para derrotar os nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.
A história do super-herói foi levada às telas do cinema recentemente no filme "Capitão América - O Primeiro Vingador", que foi lançado em maio com o ator Chris Evans dando vida ao papel-título.
O primeiro número de Capitão América foi publicado em 20 de dezembro de 1940 no editorial Timely, que um ano depois mudou seu nome para Marvel Comics, um dos selos mais célebres da história dos quadrinhos. A capa mostrava o protagonista dando um soco em Adolf Hitler um ano antes de os Estados Unidos entrarem na Segunda Guerra Mundial após o bombardeio japonês a Pearl Harbor.
Fonte: G1

Continue lendo >>

Festa da prescrição! Varre tudo, Dilma!


Fonte: Blog do Jamildo

Continue lendo >>

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Uma animação com todas as capas dos Beatles

Continue lendo >>

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A maldição do YouTube

Fonte: Treta

Continue lendo >>

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Mistérios Elucidados Sobre os Maçons


maçonaria já foi acusada de tudo: fazer rituais sinistros, promover orgias, querer dominar o mundo... Até de estar por trás dos assassinatos de Jack, o Estripador. Muita gente acredita que a organizaçãocontrola governos e que seus integrantes usam cargos públicos para se ajudar mutuamente. Os maçons, no entanto, garantem que quase tudo isso é besteira. Eles não passariam de um grupo filosófico, filantrópico e progressista. Reconhecem que ajudam uns aos outros, mas que o dever de auxiliar um irmão está sempre sujeito à obrigação maior de cumprir a lei. Afinal, qual é a verdade sobre essasociedade secreta?
Para começar, a maçonaria não é tão secreta assim. Em vários países, inclusive no Brasil, todo mundo sabe onde ficam as lojas maçônicas e quem são seus membros. Maçons publicam revistas e divulgam suas idéias em sites da internet. E, se antes mantinham seus templos imersos numa aura de mistério, hoje permitem visitas. Nossa reportagem entrou no templo da Grande Loja da Argentina de Maçons Livres e Aceitos, situada na rua Perón, 1242, em Buenos Aires. Durante 3 horas, conversamos com diversos integrantes da maçonaria – e muitos nos entregaram cartões em que se identificavam como membros da ordem.
A julgar por iniciativas desse tipo, parece que a organização nunca foi tão aberta como hoje. Será que o grande segredo da maçonaria é não ter segredo algum, como dizem alguns irmãos? Pode ser. Mas o certo é que eles ainda mantêm sessões a portas fechadas. Angel Jorge Clavero, grão-mestre da Grande Loja da Argentina, tem uma explicação para isso. “A maçonaria não é secreta, mas discreta. As cerimônias que realizamos aqui só interessam a nós, são reservadas aos iniciados.” Para Clavero, é exatamente o que ocorre em qualquer reunião, seja de condomínio ou da diretoria de uma multinacional. “Se você não é dono de um apartamento no prédio ou diretor da empresa, não vão deixá-lo entrar.
VÁRIAS MAÇONARIAS
O argumento do grão-mestre faz sentido. Por outro lado, diretores de empresas não costumam se reunir para debater filosofia, vestidos com aventais coloridos e rodeados de objetos simbólicos. Além disso, nem você nem seus vizinhos de apartamento precisam jurar segredo absoluto sobre o que foi discutido na reunião de condomínio. Na maçonaria, é assim que as coisas funcionam. Para entender os porquês disso tudo, o primeiro passo é levar em conta que não existe uma só, mas várias maçonarias.
organização é uma rede global, hoje composta de cerca de 6 milhões de integrantes espalhados pelos 5 continentes. Os rituais variam muito, de um país para outro. Cada loja tem autonomia, mesmo que pertença a uma federação nacional ou continental. Algumas usam a Bíblia em suas reuniões. Outras, a Torá ou o Alcorão. Essa diversidade permite que os símbolos maçônicos tenham várias interpretações. E foi graças a ela que personalidades extraordinariamente distintas já vestiram o avental da irmandade: de Mozart a dom Pedro 1º, de Winston Churchill a Hugo Chávez (leia mais no quadro das págs. 14 e 15).
Mas as maçonarias também têm muito em comum. Todas elas, independentemente do país, defendem os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. Veneram o Grande Arquiteto do Universo – como se referem a Deus. E exigem requisitos dos iniciados, que, depois de passar por uma cerimônia de iniciação, vão galgando postos e acumulando mais e mais conhecimentos. Embora proíbam falar de política e religião dentro do templo, os maçons continuam tendo o poder e a influência de sempre. A mesma que eles usaram para orquestrar capítulos decisivos da história, como a independência do Brasil, dos EUA e de quase todos os países da América Latina.
A origem da maçonaria é um mistério até para os maçons. Uma das teorias diz que ela surgiu há cerca de 3 mil anos, durante a construção do Templo de Salomão, em Jerusalém. O rei israelita teria recrutado o arquiteto Hiram Abif, mestre na arte de talhar pedras, que ensinava os mistérios do ofício apenas a pedreiros escolhidos a dedo. No fim da obra, 3 artesãos exigiram que ele lhes contasse os segredos. Abif recusou-se e acabou sendo assassinado por isso.
O martírio do arquiteto jamais foi comprovado. Mesmo assim, significa muito para os maçons. Em The Meaning of Masonry (“O Significado da Maçonaria”, inédito no Brasil), o maçom britânico W.L. Wilmshurst interpreta a morte do mestre como um desastre moral para a humanidade – como se a chama do conhecimento tivesse sido apagada. “Agora, neste mundo escuro, ainda temos os 5 sentidos e a razão, que vão nos proporcionar os segredos substitutos”, escreve Wilmshurst. A maçonaria, portanto, seria um sistema filosófico que discute o Universo e nosso lugar dentro dele. Quanto mais o maçomsobe os degraus da confraria, mais perto ele chega da Luz – ou seja, o pensamento racional.
Outra tese afirma que os maçons são herdeiros dos templários, os cavaleiros que viajaram à Terra Santa no século 12 para defender os cristãos, mas acabaram perseguidos pela Igreja. E existe também quem defenda uma origem ainda mais remota, no Egito dos faraós ou na Grécia antiga. Para a maior parte dos historiadores , contudo, foi na Europa medieval que a maçonaria assentou suas bases. Ela teria começado na forma de sindicatos de pedreiros (masons, em inglês), que construíam monumentos para religiosos e monarcas – entre eles a Ponte de Londres e a Catedral de Westminster, também na capital da Inglaterra.
“Os pedreiros ingleses almoçavam e deixavam suas ferramentas em pequenas casas chamadas lodges [lojas]”, explica o jornalista americano H. Paul Jeffers no livro Freemasons (“Maçons”, sem tradução para o português). Assim como Abif, eles mantinham em segredo seus métodos de construção, pois eram a garantia de melhores salários.
Esses sindicatos floresceram até o século 16, quando os pedreiros tiveram uma surpresa. Abalada pela Reforma Protestante e pela rixa com o rei Henrique 8º, a Igreja parou de construir catedrais. Resultado: contratos para novas obras minguaram. “A maçonaria entrou em crise e sofreu uma grande mudança. Tudo que era ligado à prática do ofício na pedra passou a ser alegórico, e as ferramentas viraram símbolos na contemplação dos mistérios da vida”, diz Jeffers. A ordem deixou de ser “operativa” para ser “especulativa”. E as lojas maçônicas passaram a interpretar esses símbolos por meio de conceitos morais, éticos e filosóficos. A sociedade foi aberta a outros profissionais, como os cientistas, e deixou-se influenciar até pela alquimia.
Em 1717, 4 lojas de Londres se uniram na Grande Loja Unida da Inglaterra, que marcou o início damaçonaria atual. Em 1723, o maçom James Anderson compilou a tradição oral da irmandade numa constituição, cujos lemas eram ciência, justiça e trabalho. Quem não gostou de nada disso foi a Igreja, sentindo seu poder ameaçado por um grupo que rejeitava dogmas, aceitava seguidores de outras crenças e era contra a influência da religião na vida pública. Pior: discutia seus assuntos em segredo, o que só aumentava a desconfiança da Santa Sé. Em 1738, o papa Clemente 12 emitiu uma bula em que excomungava a maçonaria – ratificada em 1983 pelo cardeal Joseph Ratzinger, atual papa Bento 16.
O tiro saiu pela culatra. Quanto mais a maçonaria era difamada, mais ela atraía revolucionários – entre eles, o libertador sul-americano Simon Bolívar e o herói da independência americana Benjamin Franklin. A Revolução Francesa também assumiu os valores maçônicos, mas não com a intensidade que muitos imaginam. “Do mesmo jeito que alguns revolucionários franceses eram maçons, como Jean-Paul Marat, alguns opositores da revolução também eram”, diz o historiador inglês Jasper Ridley no livro The Freemasons (“Os Maçons”, inédito no Brasil). No século 20, a Igreja continuaria no encalço damaçonaria.
CÓDIGOS SECRETOS
história de perseguição explica por que os maçons desenvolveram códigos para se reconhecer no meio de outras pessoas. No aperto de mão, por exemplo, um tocaria com o indicador no pulso do outro. Ao se abraçar, eles colocariam um braço por cima, outro por baixo, em X, e bateriam 3 vezes nas costas. Mais uma forma de comunicação em lugares públicos seria ficar em posição ereta e com wos pés em forma de esquadro.
Em seus textos, os maçons abreviam as palavras usando 3 pontos em forma de delta. Exemplos: “Ir” é irmão, “Loj” é loja. Hoje, boa parte desses segredos já virou de domínio público. Tanto que o termo usado pelos maçons para se referir a Deus – Jahbulon, resultado da união dos nomes Javé, Baal e Osíris – aparece em quase 30 mil páginas na internet.
Para ingressar na maçonaria, é necessário ter ficha limpa, ser maior de idade e acreditar em um deus, seja ele qual for. O candidato precisa ser convidado por um maçom e só se torna aprendiz após ser aceito numa cerimônia de iniciação no templo, onde se compromete a não revelar o que escutar ali dentro.
“Nossa meta é formar homens melhores, ensiná-los a se libertar dos dogmas e a pensar por si mesmos”, diz o grão-mestre argentino Jorge Clavero. “A maçonaria não é como um partido político, que fixa posições. Ela atua na sociedade por meio de seus homens, silenciosamente. O iniciado faz sua obra entre a família, os amigos e em seu local de trabalho.”

Degraus do conhecimento

No Brasil, o rito mais praticado é o escocês, mas o de York prevalece no resto do mundo
RITO ESCOCÊS
1º grau - Aprendiz iniciado
2º grau - Companheiro de ofício
3º grau - Mestre maçom
4º grau - Mestre secreto
5º grau - Mestre perfeito
6º grau - Secretário íntimo
7º grau - Preboste e juiz
8º grau - Intendente dos edifícios
9º grau - Mestre eleito dos 9
10º grau - Mestre eleito dos 15
11º grau - Cavaleiro eleito dos 12
12º grau - Grão-mestre arquiteto
13º grau - Mestre do 9º arco
14º grau - Grão-eleito perfeito e sublime
15º grau - Cavaleiro do Oriente
16º grau - Príncipe de Jerusalém
17º grau - Cavaleiro do Oriente e do Ocidente
18º grau - Cavaleiro Rosacruz
19º grau - Grão-pontífice
20º grau - Mestre ad Vitam
21º grau - Patriarca noaquita
22º grau - Príncipe do Líbano
23º grau - Chefe do tabernáculo
24º grau - Príncipe do tabernáculo
25º grau - Cavaleiro da serpente de bronze
26º grau - Príncipe da mercê
27º grau - Comendador do templo
28º grau - Cavaleiro do Sol
29º grau - Cavaleiro de Santo André
30º grau - Cavaleiro kadosh
31º grau - Grão-inspetor inquisidor comendador
32º grau - Sublime príncipe do real segredo
33º grau - Soberano grão-inspetor geral
RITO DE YORK
Mestre de marca
Past master (virtual)
Mui excelente mestre
Maçom do real arco
Mestre real
Mestre eleito
Mestre superexcelente
Ordem da Cruz Vermelha
Ordem dos Cavaleiros de Malta

Ordem dos Cavaleiros Templários


Rumo ao topo da pirâmide

A escalada na hierarquia pode levar uma vida inteira
A estrutura da maçonaria tem a forma de duas escadas que começam e terminam juntas. O 1º passo do candidato é se tornar aprendiz. O 2º nível é o de companheiro de ofício e o 3º, de mestre maçom. Os 3 degraus iniciais são comuns ao rito escocês e ao de York. Depois disso, quem quiser subir na hierarquia deve escolher entre os dois sistemas ritualísticos. No escocês são 33 graus, enquanto o de York tem apenas 10. A história dos ritos também é diferente: para muitos estudiosos da maçonaria, o ritual escocês foi fundado na França por imigrantes que fugiam de perseguições. Já o de York surgiu na cidade inglesa de mesmo nome, onde teria sido aberta a primeira loja maçônica da Grã-Bretanha. No Brasil, o rito mais praticado é o escocês, mas estima-se que 85% dos maçons em todo o mundo pratiquem o de York.Alguns personagens importantes da tradição maçônica aparecem sobre os degraus desta ilustração, publicada pela primeira na revista americana Life, em 1956. Entre eles, o rei Salomão (indicando o caminho na base do rito escocês), que construiu o 1º Templo de Jerusalém, e George Washington (no 20º grau do mesmo rito, mestre ad Vitam), primeiro presidente dos EUA. Sob o arco estão as organizações irmãs da maçonaria. Mestres maçons são aceitos na Grotto e na Altos Cedros do Líbano. Meninas que têm um maçom na família podem ingressar na Filhas de Jó ou na Ordem das Garotas do Arco-Íris; mulheres, na Estrela do Oriente; e rapazes, na DeMolay. Apenas maçons de grau 32 e Cavaleiros Templários podem entrar para o Shrine. E a mulher de um Shrine pode ser uma Filha do Nilo.

Até na lua!

De presidente a astronauta, maçons que entraram para a história
GEORGE WASHINGTON - 1732-1799
Foi o primeiro e único a exercer ao mesmo tempo os cargos de mestre de uma loja e presidente dos EUA. Um terço dos presidentes americanos foram da maçonaria.
AMADEUS MOZART - 1756-1791
Um dos maiores compositores de todos os tempos, ingressou na maçonaria a convite de Joseph Haydn, outro gênio da música, membro de uma loja em Viena.
DOM PEDRO 1º - 1798-1834
Chegou ao posto de grão-mestre no Brasil. Deixou a maçonaria assim que foi declarado imperador e proibiu os trabalhos da organização no país, temendo que seu poder fosse contestado.
WINSTON CHURCHILL - 1874-1965
Primeiro-ministro britânico durante a 2ª Guerra Mundial, foi iniciado em 1901, aos 26 anos de idade, na loja maçônica Studholme, em Londres, quando já era parlamentar.
HUGO CHÁVEZ - 1954-
Iniciado por um guarda-costas, segue os passos de outros maçons históricos que ele adora citar em discursos, entre eles: Simon Bolívar, José Martí e San Martín.
NEIL ARMSTRONG - 1930-

O primeiro homem a pisar na Lua era maçom. Ele teria vestido seu avental sobre o traje lunar durante a missão da Apolo 11, mas não há provas de que isso realmente tenha acontecido.


Para saber mais

• Freemasons

H. Paul Jeffers, Kensington Publishing, 2005 (em inglês).


Por dentro do templo maçônico

Um passeio pela Grande Loja da Argentina de Maçons Livres e Aceitos, com explicação para tudo que você veria lá dentro
• ALTAR
Corresponde ao Santo dos Santos, o lugar mais sagrado do antigo Templo de Jerusalém. A poltrona central é usada apenas pelo venerável-mestre, que conduz os rituais.
• COMPASSO E ESQUADRO
Remetem ao tempo em que os maçons eram pedreiros. Por desenhar círculos perfeitos, o compasso representa a busca da perfeição. Já o ângulo reto do esquadro sugere honestidade. A letra “G” vem de God – “Deus” em inglês.
• SOL E CÉU AZUL
São vários os significados atribuídos ao Sol na maçonaria. Rente ao teto do templo, ele pode ser interpretado como conhecimento e esclarecimento mental ou intelectual. O céu azul simboliza a natureza e o Universo.
• CIÊNCIA, JUSTIÇA E TRABALHO
Os 3 adultos à esquerda, neste quadro do italiano Enrique Fabris, representam a ciência (ancião com a tocha da razão), a justiça (mãe carregando o filho) e o trabalho (homem vigoroso com ferramentas). A esfinge central refere-se à sociedade iniciática e o longo caminho a ser seguido pelo homem na busca do conhecimento. O Sol simboliza a natureza, presente em seus 4 elementos: água, fogo, ar e terra. Deles, apenas a água não pode ser dominada pelo homem – daí o mar revolto no quadro.
• AVENTAL
Símbolo de trabalho, ele protege o maçom e indica seu grau (na foto, Angel Jorge Clavero, grão-mestre da Loja Argentina de Maçons Livres e Aceitos). As luvas, sempre brancas, significam pureza, retidão moral e igualdade.
• ESTRELA DO ORIENTE
Com 5 pontas, ela simboliza o homem em seus 5 aspectos – físico, mental, emocional, intuitivo e espiritual. Ao fundo, observa-se a pirâmide com o olho que tudo vê, uma alusão a Deus.
• PISO XADREZ

Representa povos do mundo unidos pela maçonaria. Os triângulos e quadrados simbolizam a harmonia que pode existir na diversidade. Também sintetizam os contrários: Bem e Mal, corpo e espírito.

Continue lendo >>
Blog Widget by LinkWithin

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger, Modificado por Leitura de Bolso

TOPO