sexta-feira, 9 de março de 2012

Hollywood encontra seu novo herói galáctico em "John Carter"



Um século depois do romancista Edgar Rice Burroughs ter dado vida ao audacioso John Carter em suas histórias de ficção científica, a Disney ressuscita esse personagem com uma superprodução estrelada por Taylor Kitsch. O filme "John Carter - Entre Dois Mundos", que estreia nesta sexta-feira, nos Estados Unidos e também no Brasil, chega aos cinemas com a obrigação de justificar seu grande orçamento, algo em torno de US$ 250 milhões - quantia equivalente ao "Homem-Aranha 3".
A seu favor aparece a obra em que o filme está baseado, o primeiro livro da série "Barsoom", assinada por Burroughs. Este mesmo autor já serviu de inspiração para George Lucas e James Cameron criar as aventuras galácticas de "Guerra nas Estrelas" e "Avatar", respectivamente. O fator negativo, por outro lado, destaca uma confusa campanha de divulgação - centrada de modo excessivo no dinheiro investido, o que pode gerar a errônea sensação de que se trata de mais um "Fúria de Titãs" -, assim como a falta de rostos famosos em seu elenco.
Esses problemas, no entanto, são solucionados pela capacitada equipe do filme, que conta com direção de Andrew Stanton. Especialista em animação, o diretor começa a se ambientar com as produções de carne e osso em "John Carter". Vencedor de dois Oscars, com "Wall-E" e "Procurando Nemo", e roteirista da saga "Toy Story", Stanton assumiu a adaptação do roteiro e também soube equilibrar a ação em 3D com as emoções reais dos personagens, o que faz com que seu filme funcione.
A trama gira em torno de um soldado da Guerra Civil dos Estados Unidos, John Carter, que é teletransportado acidentalmente para Marte (Barsoom). Lá, o soldado descobre o amor e termina entrando em uma batalha milenar para apoiar os habitantes locais. Carter (Taylor Kitsch), que adquire poderes sobrenaturais graças a uma força da gravidade zero, acaba se transformado no único capaz de salvar o planeta vermelho. "O mais importante na hora de interpretar John Carter foi usar o coração e buscar um redescobrimento de si próprio", contou Kitsch.
O ator canadense, conhecido pela série de televisão "Friday Night Lights", diz que se entregou de corpo e alma para a realização deste projeto. A dedicação foi tanta que Kitsch realizou 98% das cenas perigosas sem o uso do duble. Apesar de ter causado alguns pequenos machucados, essa atuação parece que valeu a pena. "Acho que ninguém mais poderia ter feito da mesma forma que as cenas exigiam. Gosto de me entregar totalmente aos meus personagens e esse foi um deles", comentou Kitsch, que chegou a sofrer entorses, contusões musculares e, inclusive, cortes no peito.
"O mais duro foi aprender a caminhar (com gravidade marciana). Estávamos no leito seco de um rio em Utah e foram sete horas de golpes. A sequência de saltos com os gigantes gorilas brancos foi incrível. Surpreendeu-me o fato de terem me deixado fazer e, pouco tempo depois, parecia que ia ficar sem tornozelos", explicou o ator. Apesar de todos os esforços, Kitsch disse estar preparado para voltar a encarnar Carter na sequência que já está planejada por Stanton. Dependendo da resposta da bilheteria, o mais provável é que "John Carter - Entre Dois Mundos" seja uma trilogia.
O elenco do filme é completo pela atriz Lynn Collins ("A Casa do Lago"), que vive a indomável princesa marciana Dejah Thoris, Dominic West ("A Escuta") e Mark Strong ("Sherlock Holmes"), além dos irreconhecíveis Willem Dafoe ("Homem-Aranha") e Thomas Haden Church ("Homem-Aranha 3"), ambos como alienígenas. Depois de "John Carter - Entre Dois Mundos", Kitsch estrelará "Battleship", outra grande aposta de Hollywood, e também "Savages", de Oliver Stone, uma coleção de filmes que beiram os US$ 500 milhões de orçamento e que farão dele um dos atores mais populares do ano.



Fonte: Folha de PE 

Seja o primeiro a comentar

Blog Widget by LinkWithin

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger, Modificado por Leitura de Bolso

TOPO