quarta-feira, 29 de abril de 2009

Gripe suína também na internet


O assunto “gripe suína” não tomou conta apenas dos noticiários. Explorando a preocupação e desinformação da população mundial sobre o tema, os vigaristas de plantão inundaram a rede com milhares de spams sobre a doença. A maioria das armadilhas chegam via e-mail, que tentam vender remédios falsificados para a gripe e roubar informações de cartão de crédito dos desavisados.

De acordo com a McAfee, até a última segunda-feira, a exploração do assunto “gripe suína” já englobava de 3 a 4% de todos os spams. A maioria das mensagens leva os internautas a sites de farmácias que sequer existem, oferecendo tratamentos para o vírus. Entre as opções desagradáveis para prejudicar o internauta, estão a grande possibilidade de o produto não ser entregue, ou até chegar, mas falsificado, e, finalmente, o roubo de dados do cartão de crédito.

O registro de domínios que incluem o termo “suíno” (ou sua versão em ingles “swine”) na URL já aumentou 30 vezes. Segundo o site F-Secure, durante o fim de semana foram registrados 146 domínios na rede que contêm os termos “swine” e “flu” (porco e gripe, em inglês).

“É apenas mais um dia de trabalho para spammers. Vasculhar sites de notícias por histórias que possam ser usadas em campanhas é uma ação comum, muito fácil de ser automatizada”, escreveu o pesquisador Frase Howard no blog da consultoria Sophos.


MAPEAMENTO
Usuários do Google Maps e de diferentes serviços de mapas online estão usando este recurso para mapear o avanço da gripe suína, indicando o número de infectados e suspeitas de novos casos. Os mapas são atualizados a cada hora e mostram que o vírus já fez vítimas nos Estados Unidos, Canadá, Espanha, além do México. O pânico também conseguiu seu espaço na internet.

Fonte: Folha de PE

Seja o primeiro a comentar

Blog Widget by LinkWithin

  ©Template Blogger Green by Dicas Blogger, Modificado por Leitura de Bolso

TOPO